Visitar Lavras do Sul é se surpreender com um jeito peculiar e simples de levar a vida. Muitas vezes se diz que Lavras do Sul é uma grande família, por conta de sua hospitalidade entre os habitantes e para com os visitantes. Mesmo com seu tamanho de pequeno porte, possui atrações e eventos que atraem pessoas de diversos lugares e de todos os estilos, em todas as épocas do ano. Conhecendo Lavras do Sul, tu irás te surpreender. ///// Localizado na mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e na microrregião da Campanha Meridional, a 320 quilômetros via rodoviária da Capital do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o município de Lavras do Sul foi fundado em 9 de maio de 1882, emancipando-se de Caçapava do Sul. É o único município gaúcho com origem na mineração e na extração do ouro, mineral outrora abundante na região. Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, a população era de 7.679 habitantes. Seu território se estende por 2.600 km² e, as Coordenadas Geográficas da zona urbana são 30° 48' 41” S, 53° 54' 02” O. Divide-se em dois distritos: Sede (a leste) e Ibaré (a oeste).

Previna-se contra o Coronavírus

Previna-se contra o Coronavírus
Fique em casa e saia apenas em casos de extrema necessidade, usando a máscara

sábado, 18 de abril de 2020

SOCIEDADE: Culinária e Gastronomia de Lavras do Sul

Quem vai a Lavras se surpreende com a variada culinária e uma alimentação peculiar, que agrada a todos os paladares.

A carne de ovelha é bastante apreciada na cidade, em diversas formas: desde as mais comuns, como costela e espinhaço, até as raramente consumidas em boa parte do Estado, por exemplo o coração. Há também um grande consumo de gado, sendo aproveitadas as mais diversas partes do boi.

Por conta da Ovinofest, em 2013, um prato local que tem potencial para ser produzido em Lavras do Sul foi lançado: a paella lavrense, composta por arroz e pedaços de carne de cordeiro (foto abaixo).



Definitivamente, não é necessário explicar por que o churrasco é o prato mais tradicional em festas, encontros de amigos e no cotidiano dos lavrenses, tanto na zona rural, quanto na sede municipal.

As linguiças lavrenses, a base de porco e de gado, produzidas de forma artesanal e caseira, por fazendeiros locais ou por vários açougues, são de um sabor diferenciado e marcante.

Feijão mexido, arroz e saladas são acompanhamentos que não podem faltar nos almoços e jantas lavrenses.

No café da manhã e no lanche da tarde, os pães fazem grande sucesso. A Padaria São José, que funciona há mais de 70 anos, é uma das mais tradicionais da cidade. Outra padaria que fez história foi a Três Estrelas (onde atualmente funciona o Supermercado Reinstein). Há padarias em vários pontos da cidade. Outro empreendimento relacionado a café e salgados, inaugurado recententemente, é o Dona Morena.

O Telúrica Bar, além do xis, é famoso por suas pizzas, calzones (pizzas dobradas, fechadas e com recheio) e por seus pratos com nomes de  pessoas famosas da cidade (sanduíches como Fafá e Waguinho). Oferece ainda pratos à la-carte, como o Frango à Majestik (sobrecoxa de frango desossada e frita, decorada com pêssegos, abacaxis, figos em calda e queijo e acompanhada de arroz, batata frita e salada de maionese).

Além do Telúrica Bar, em Lavras do Sul há pelo menos 20 opções de alimentação, muitas delas surgidas a partir dos anos 2000, como, por exemplo, o Brothers Pub, o Parada Lanches, o Rodogrill, a Churrascaria Center e o Sabor Divino. Há ainda restaurantes também com grande tradição, como a Churrascaria Freitas e o Bar e Restaurante Central.

Outro elemento essencial no dia-a-dia dos lavrenses é o tradicional chimarrão (ou mate, como os nativos da cidade o chamam). O chimarrão é sagrado, sendo preparado todos os dias, para espantar o frio, manter a tradição e unir as pessoas em volta. É bastante comum o fato de os moradores oferecerem mate aos visitantes de suas casas, não importa a hora do dia; é mais uma demonstração da hospitalidade lavrenses e do interior gaúcho.

Na zona rural, há o chamado café campeiro, com pães, geleias, compotas e quitutes feitos dentro das estâncias, com um sabor diferente e único. É uma gastronomia típica da região e oferecida nos hotéis-fazenda do município.

Nos mercados da cidade, há diversas marcas e tipos de produtos e mantimentos que atendem a todas as necessidades da população. Podemos encontrar, desde marcas consagradas até produtos com fabricação e venda tipicamente voltados para as cidades do interior. É o caso, por exemplo, das tubaínas (refrigerantes de marcas pouco conhecidas); em Lavras, a população consome consideravelmente estas bebidas, superando os refrigerantes diet, light ou zero, os quais não são vendidos em determinados estabelecimentos.

Não podemos esquecer de citar os tradicionais doces caseiros e quitutes, preparados por diversas donas-de-casa em suas próprias residências, e que são oferecidos por elas às visitas. Quando visitamos a casa de alguém em Lavras, e a dona da casa nos oferece delícias como ambrosia, pão caseiro, merengue, bolo, figada, marmelada, pastel, rapadura, torta de bolacha, pizza de sardinha, entre outras, é praticamente impossível recusar e resistir às tentações da culinária lavrense. Aliás, estas donas de casa oferecem esses quitutes de livre e espontânea vontade, para qualquer visita. Os que não aceitam as ofertas destas guloseimas, preparadas com tanto carinho e satisfação, correm o risco de deixar essas dedicadas cozinheiras desapontadas, além é claro de deixarem de experimentar deliciosas iguarias.

AddToAny