Visitar Lavras do Sul é se surpreender com um jeito peculiar e simples de levar a vida. Muitas vezes se diz que Lavras do Sul é uma grande família, por conta de sua hospitalidade entre os habitantes e para com os visitantes. Mesmo com seu tamanho de pequeno porte, possui atrações e eventos que atraem pessoas de diversos lugares e de todos os estilos, em todas as épocas do ano. Conhecendo Lavras do Sul, tu irás te surpreender. ///// Localizado na mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e na microrregião da Campanha Meridional, a 320 quilômetros via rodoviária da Capital do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o município de Lavras do Sul foi fundado em 9 de maio de 1882, emancipando-se de Caçapava do Sul. É o único município gaúcho com origem na mineração e na extração do ouro, mineral outrora abundante na região. Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, a população era de 7.679 habitantes. Seu território se estende por 2.600 km² e, as Coordenadas Geográficas da zona urbana são 30° 48' 41” S, 53° 54' 02” O. Divide-se em dois distritos: Sede (a leste) e Ibaré (a oeste).

Previna-se contra o Coronavírus

Previna-se contra o Coronavírus
Fique em casa e saia apenas em casos de extrema necessidade, usando a máscara

quarta-feira, 22 de abril de 2020

ECONOMIA: Dados básicos em Lavras do Sul

As principais atividades econômicas de Lavras do Sul são a pecuária (ovinos e bovinos, para extração de couro e abate), comércio e serviços (mais de 200 estabelecimentos comerciais) e o turismo, praticado em pequena escala. A agricultura possui considerável importância, principalmente no que diz respeito ao plantio de soja e arroz. Existem, ainda, focos de fruticultura, em sua maioria em pequena escala.

Nas últimas décadas, a mineração (base da formação de Lavras do Sul) teve seu ritmo reduzido, mas já há a possibilidade de implantação de novas jazidas minerais, como a do Projeto Fosfato Três Estradas. O empreendimento divide opiniões (os favoráveis apostam no desenvolvimento econômico, geração de empregos e melhorias de infraestrutura para o município; já os contrários justificam impactos ambientais que possam causar prejuízos ao ambiente da região).

Destacam-se ainda microempresas do setor da agroindústria familiar, como a Tecelagem Lavrense (especializada na produção de peças de vestuário a base de lã de ovelha), a Fazenda Taboleiro das Lavras (quadro abaixo) e a Sabor da Terra (que produz doces, salgados artesanais e o Café Campeiro, em eventos especiais).As três empresas contribuem para a geração de oportunidades de emprego e fonte de renda para diversas famílias da Zona Rural, aproveitando com sustentabilidade as matérias-primas típicas da nossa terra e proporcionando, como resultado final, ótimos produtos naturais e artesanais, com qualidade, carinho e dedicação.

Em 2007 (segundo dados divulgados pela FEE e pelo IBGE) o PIB de Lavras do Sul era de R$ 114.692.000,00 (173° posição no Estado Gaúcho), crescendo 30,1% em relação a 2006. Em 2008, o valor do PIB lavrense chegou a R$ 136.207.000,00.A população economicamente ativa ocupada do Município corresponde a 3.481 pessoas (94,3% do total); 5,7% (212 pessoas) estão desocupadas. Com até um salário mínimo vivem 2.929 pessoas; com dois salários mínimos, 1.105 pessoas; com até três salários mínimos, 325 pessoas; e 460 pessoas possuem acima de 3 salários mínimos. Sem rendimento vivem 1.782 pessoas.

Segundo dados de 2010 do IBGE, o Valor adicionado bruto da agropecuária é de R$ 82.592.000,00. O setor da indústria representa R$ 7.683.000,00; e o setor de serviços teve o valor arrecadado de R$ 61.634.000,00. De acordo com as Estatísticas do Cadastro Central de Empresas, divulgado em 2011 pelo IBGE, Lavras do Sul possui 266 empresas atuantes, distribuídas em 274 unidades locais, empregando 984 pessoas. O rendimento médio dos trabalhadores nas empresas lavrenses é de 2,1 salários mínmos. O número de empresas lavrenses é crescente: em 2006, eram 216. Existem ainda 48 entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos, segundo dados do IBGE em 2010.

No setor da agropecuária podemos destacar os seguintes produtos cultivados no Município: figo, laranja, limão, maçã, pêra, pêssego, tangerina, uva (lavouras permanentes); amendoim, arroz, batata-doce, batata-inglesa, cebola, cevada, feijão, mamona, mandioca, melancia, melão, milho, soja, tomate e trigo (lavouras temporárias); ovinos, bovinos, eqüinos e bubalinos (pecuária); lenha, mel, carne ovina, lã de ovelha, compotas e derivados (agroindústria).

Número de Unidades Locais (IBGE)

  • 2006 = 216

  • 2011 = 274

  • 2015 = 200

  • 2016 = 192

  • 2019 = 160

Arrecadação de tributos (1998)

• Federais = R$ 397.963,00
• Estaduais = R$ 285.862,38
• Municipais = R$ 202.942,78

Arrecadação de impostos em 2009 (de 1°/01 a 1°/06)

• R$ 7.815.000,00 (número aproximado).

Produto Interno Bruto (em US$)

• 1982: 14.872.026,00
• 1990: 21.139.399,00
• 1995: 33.056.421,00
• 2000: 24.203.342,00
• 2005: 28.750.747,52

Valor Adicionado Bruto (IBGE, 2010)

Valor Adicionado Bruto, a preços correntes, da Agropecuária = R$ 80 680 938
Valor Adicionado Bruto, a preços correntes, da Indústria = R$ 5 810 488
Valor Adicionado Bruto, a preços correntes, dos Serviços = R$ 53 843 284
Valor Adicionado Bruto, a preços correntes, da Administração, saúde e educação públicas e seguridade social = R$ 20 471 984
Impostos, líquidos de subsídios, sobre produtos, a preços correntes R$ 3 506 447
Produto Interno Bruto a preços correntes = R$ 143 841 157

AddToAny