Links informativos

Visitar Lavras do Sul é se surpreender com um jeito peculiar e simples de levar a vida. Muitas vezes se diz que Lavras do Sul é uma grande família, por conta de sua hospitalidade entre os habitantes e para com os visitantes. Mesmo com seu tamanho de pequeno porte, possui atrações e eventos que atraem pessoas de diversos lugares e de todos os estilos, em todas as épocas do ano. Conhecendo Lavras do Sul, tu irás te surpreender. ///// Localizado na mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e na microrregião da Campanha Meridional, a 320 quilômetros via rodoviária da Capital do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o município de Lavras do Sul foi fundado em 9 de maio de 1882, emancipando-se de Caçapava do Sul. É o único município gaúcho com origem na mineração e na extração do ouro, mineral outrora abundante na região. Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, a população era de 7.679 habitantes. Seu território se estende por 2.600 km² e, as Coordenadas Geográficas da zona urbana são 30° 48' 41” S, 53° 54' 02” O. Divide-se em dois distritos: Sede (a leste) e Ibaré (a oeste).

sábado, 19 de outubro de 2013

HISTÓRIA: Como era a Rua Dr. Pires Porto em 1959

Confira abaixo, relatos de Sávio Silveira para o Grupo OSDELAVRAS, no Facebook, sobre como era a Rua Dr. Pires Porto, a principal do centro de Lavras do Sul, no ano de 1959.

O Grupo Escolar Pedro Américo é meu ponto de referencia, afinal, foi ali que iniciei meu curso primário (primeiras séries do atual curso fundamental). Vou manter sempre uma descrição dos proprietários dos imóveis situados a direita e a esquerda de quem desce a nossa rua principal.

Na esquina com a rua Rio Branco, a casa do Seu Dourado e a casa do Seu Fernandinho Ricaldi;
Logo depois do colégio, a casa do Sr. Alfredo Coirollo de Souza. Mantida ainda a direita da pires porto, tínhamos a residência e consultório do Dr Bráulio, grande Odontólogo daquela época. A esquerda, depois da casa que servia de residência ao técnico da Corsan, tinha o prédio onde teria sido a oficina do "comando agrícola de Lavras". (Alguns anos depois, funcionou nesse local, o primeiro "boliche" de Lavras).

Continuando pela esquerda, tínhamos o Clube Operário 1º de Maio e logo depois, a residência, um armazém e também um ambiente de festas administrados pelo sr. Érico Brito.

Na casa da esquina, pela direita era a residência do Seno Vieira. Logo depois a Casa Paroquial, e na sequência a residência do Sr. Juca Souza (Na realidade, ele morava em sua fazenda do “Posto”, onde tive a oportunidade de conhecê-lo.). A casa do seu Chiquito Teixeira, o escritório da CEEE e a casa do Sr. João Souza.

Tinha a casa do Seu Vovô Teixeira, a casa do Seu Antoninho Barbeiro e a Coletoria Federal, a casa do Sr. Fabricio da Costa Machado (seu bibi) e o Banco Industrial e Comercial do Sul (Sulbanco), e na sequencia a residência do Seu Machadinho e de seu genro Orestes Poglia.

Atrás da praça, a residência do Sr. Geny Tavares, onde tinha uma peça que era a sede do GEL (Gremio Estudantil Lavrense) ou Ginásio como era popularmente conhecido. Depois o comércio do Seu Maninho e da dona Maria Pergher, o famoso Bar Central.

Na esquina, o Banco da Província e a residência do Gerente do Banco Sr. Aldo La Rocca e logo depois a casa do Sr. Gaspar Teixeira da Silveira. Nas duas lojas do Edificio do Dr. Calero, tínhamos a Loja Elegância Modas do Sr. Agop Missirlian e um salão de beleza.

Na esquerda, logo depois do Clube Comercial, a casa do Sr. Nico Teixeira; e depois o Prédio do Município, que comportava: Câmara de Vereadores, telefônica Municipal, Biblioteca Pública Municipal e um escritório do Instituto de geografia e estatística, comandado pelo Sr José Corrêa. No prédio onde hoje esta instalado o Supermercado Center, tinha o Bar do Seu Namur, a Casa Gaúcha Veterinária e depois a Delegacia de Polícia. A residência da família e a alfaiataria do Seu Hervandil Prestes (tinha uma representação comercial da Renner, símbolo de roupa masculina da época), a residência do Sr Adir La Bella e na esquina da atual padaria três estrelas funcionava a Cooperativa dos funcionários municipais de Lavras do Sul.

Continuando a decida da Pires Porto, pela direita, onde hoje é a Elegância Modas, ficava a residência do Sr. Waldemar Pereira, que era um fiscal, não sei se da receita federal ou estadual. Tinha o Posto de Saúde e logo depois a residência do Sr Ney Silveira Gomez. Onde hoje é o Palima, tinha o Bar do Titita e depois o Banrisul. Só que no prédio velho desse banco, haviam salas com portas externas, lembro que em uma delas funcionava nessa época a Barbearia do José barbeiro.

Na esquina com a Maria Barcelos, tinha a rodoviária da dona Diva Souza Kluwe, o Sindicato rural, que na época se chamava associação rural, e na casa la em baixo, onde hoje é a hospedaria era a residência da família do Sr. Dalvo Alves. Em sequencia a casa do sr Theodoro Biaggi, depois a casa comercial do Sr. Ernesto Bittencourt e finalizando a quadra a casa da família do Sr. João Gomez.

Pelo lado esquerdo, a Loja do Zeron, o Hotel Cachapuz, e o Hotel Central. A venda do seu Lelinho Machado e a casa do fotógrafo Julião Ribas; a casa do Seu Pampão e a residência do Dr Alirio Cachapuz.

Continuamos com o sobrado do sr. Jorge Messerlian, com residência e loja, a casa do Sr. Beto Monteiro e a casa do sr. Reinaldo Moreira e na esquina com a Coronel Galvão, um velho galpão coberto de zinco e desabitado.

Pela esquerda, o Bar do Seu Zezé, a residência e marcenaria do Seu Eca Martins, a casa do Sr Lili Monteiro e a residência e sapataria do seu Pepe Sciortino.

Finalmente, a residência de meu avô Severino Silveira, e pela esquerda a casa comercial dos irmãos Scholant (Juarez e João) e a residência da família do Seu Ildes Biaggi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

No Facebook

Postagens mais visitadas