Links informativos

//// Visitar Lavras do Sul é se surpreender com um jeito peculiar e simples de levar a vida. Muitas vezes se diz que Lavras do Sul é uma grande família, por conta de sua hospitalidade entre os habitantes e para com os visitantes. Mesmo com seu tamanho de pequeno porte, possui atrações e eventos que atraem pessoas de diversos lugares e de todos os estilos, em todas as épocas do ano. Conhecendo Lavras do Sul, tu irás te surpreender. ///// Localizado na mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e na microrregião da Campanha Meridional, a 320 quilômetros via rodoviária da Capital do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o município de Lavras do Sul foi fundado em 9 de maio de 1882, emancipando-se de Caçapava do Sul. É o único município gaúcho com origem na mineração e na extração do ouro, mineral outrora abundante na região. Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, a população era de 7.679 habitantes. Seu território se estende por 2.600 km² e, as Coordenadas Geográficas da zona urbana são 30° 48' 41” S, 53° 54' 02” O. Divide-se em dois distritos: Sede (a leste) e Ibaré (a oeste).

quarta-feira, 25 de abril de 2012

TORRES: Imagens da cidade





















BAGÉ: Imagens da cidade




















INFRAESTRUTURA: Catamarã que faz a travessia Porto Alegre/Guaíba




PORTO ALEGRE: Formação e características de Porto Alegre e Região Metropolitana


Introdução
A vida urbana, nos dias de hoje, encontra-se em um estado altamente frenético. As grandes metrópoles mundiais sofrem problemas comuns entre si, como violência, poluição (sonora, visual ou atmosférica), precariedade de certos serviços públicos, congestionamentos no trânsito, entre outros aspectos.
Com Porto Alegre, a capital do estado do Rio Grande do Sul e a área de influência por ela exercida, não é diferente: com cerca de um milhão e quatrocentos mil habitantes, dados do IBGE em 2004, é um das mais importantes cidades do Brasil e do Mercosul; as causas da forte atração populacional são a industrialização, a infra-estrutura e as oportunidades de emprego que a cidade oferece, fazendo com que milhares de migrantes de diversos lugares, sobretudo do interior do RS, almejassem melhores oportunidade de emprego e de renda. Mas, com a saturação dos espaços urbanos da Capital e o constante aumento da população, surgiu, em meados do século XX, uma grande região a sua volta, com cidades de economia, PIB e IDH superiores aos do próprio Brasil, como Canoas, Novo Hamburgo e Gravataí. Somando Porto Alegre com as cidades vizinhas, podemos contabilizar, atualmente, cerca de três milhões e oitocentas mil pessoas. Porto Alegre é uma cidade cosmopolita, onde há uma integração total entre as mais diversas etnias. Porém, as cidades da região também sofrem os mesmos problemas da Metrópole.
> Esta pesquisa tem, por finalidade, analisar e descrever como que Porto Alegre e sua região tornaram-se o que é hoje: uma região, com vários problemas sociais, obviamente, mas também um lugar com ótima qualidade de vida, uma das melhores capitais neste aspecto, segundo a ONU, em que seus habitantes a estimam muito. Pretende, ainda, mostrar sugestões para um futuro melhor, tanto para a região, quanto para seus habitantes.
História e Formação de Porto Alegre
Porto Alegre, a capital do Estado do Rio Grande do Sul, situada às margens do Lago Guaíba, surgiu através da chegada do tropeiro Jerônimo de Ornellas, em meados do século XVII, que se estabeleceu em um sítio na região. Este sítio deu origem a um povoado, onde também fixaram-se casais açorianos, iniciando assim a colonização local.
A cidade, antes de ter a denominação atual, foi chamada de Porto de Viamão, Porto do Dorneles, Porto dos Casais e Nossa Senhora da Madre de Deus de Porto Alegre. Sua fundação foi a 26 de março de 1772. Em 1773, foi transformada em Capital do Estado. Em 1808, a cidade foi elevada à categoria de vila, adquirido o status de cidade em 1822.
A evolução da cidade ao longo da história pode ser entendida a partir da relação existente entre variação de população (acréscimos ou decréscimos) e funções urbanas. (...) à medida que aumenta a população de um núcleo urbano, também aumentam e se diversificam as funções desse núcleo, e vice-versa. (MENEGAT, 1998,99)
A evolução de Porto Alegre pode ser dividida em cinco períodos: o primeiro foi caracterizado pela ocupação do território e a formação do núcleo da cidade, até 1772. Sua função era estritamente portuária; o segundo período é compreendido entre 1772 e 1820, cujas funções eram de apoio à produção primária, militar e administrativa; No terceiro período (1820-1890), Porto Alegre, já com uma população de mais de 52 000 habitantes, desempenhava também a função comercial. Essa função desenvolveu intensamente a cidade, mas o que fez Porto Alegre tornar-se a metrópole que é hoje foi a sua industrialização (quarto período, 1890-1945). Nessa época, a fisionomia da cidade mudou completamente, deixando de ser uma pacata cidade para tornar-se uma grande metrópole. No quinto período, que começou em 1945 e vai até nossos dias, a população da cidade cresceu cinco vezes, passando de 272 000 para 1 400 000 habitantes.
No século XIX, Porto Alegre possuía ares do que chamamos atualmente de “cidade do interior”. Mas com o constante desenvolvimento econômico que adquiriu, a cidade transformou-se completamente.
O porto da Capital desempenhou importante papel no crescimento da cidade, desde sua fundação. Mas o que realmente revolucionou a cidade foram as obras viárias, ao longo do século XX, executadas com o objetivo de melhor a infra-estrutura e o bem-estar da crescente população.
Surgiram, entre outras obras: o Túnel da Conceição, nos anos 1970; a Avenida Farrapos, na metade do século XX, que constitui importante ligação entre o Centro e a Zona Norte e o Aeroporto; o Aeroporto Salgado Filho, nos anos 1950 (que foi renovado em meados de 2000); diversos viadutos; corredores de ônibus; a Travessia Getúlio Vargas (Ponte do Guaíba), entre outras.
Porto Alegre é uma das capitais brasileiras com melhor qualidade de vida, mais arborização (devido à grande quantidade de áreas verdes) e melhor bem-estar para seus habitantes. Obviamente, também tem problemas como outras grandes cidades, mas orgulha seus habitantes por suas belezas naturais (pôr-do-sol do Guaíba) e sua vida cultural intensa. Eventos (como a Feira do Livro, o Fórum Social Mundial e a Bienal do Mercosul) e espaços como parques, museus e pontos turísticos como a Usina do Gasômetro movimentam a cidade. Shows de diversos artistas, regionais, nacionais e até internacionais colocam Porto Alegre na rota cultural nacional.
É uma cidade que abriga diversas etnias, com integração entre todas elas. Possui elementos das mais diversas religiões, convivendo pacificamente entre si. O futebol é outra paixão na cidade, dividindo seus habitantes entre dois dos principais clubes de futebol brasileiros, Grêmio e Internacional.
Existem inúmeros outros aspectos que fazem de Porto Alegre uma cidade muito querida, não só por quem nela vive, mas por todos os gaúchos e brasileiros, que admiram uma cidade forte, desenvolvida e muito simpática.
A Região Metropolitana de Porto Alegre
Com o crescente aumento da população, sobretudo no século XX, os espaços urbanos da Capital tornaram-se escassos. Daí o surgimento de novas cidades no entorno de Porto Alegre. Com isso surgiu a Região Metropolitana de Porto Alegre, reconhecida pelo IBGE em 1973.
Atualmente, a Região Metropolitana de Porto Alegre engloba 31 municípios, somando uma população de mais de 3 800 000 pessoas, 37% da população gaúcha. Possui a densidade demográfica de 445,17 hab/km². Esteio é o município com a maior densidade demográfica (2904,02 hab/km²).
Os primeiros municípios a fazerem parte da região foram: Alvorada, Cachoeirinha, Campo Bom, Canoas, Estância Velha, Esteio, Gravataí, Guaíba, Novo Hamburgo, Porto Alegre, São Leopoldo, Sapiranga, Sapucaia do Sul e Viamão. Ao longo das últimas décadas, incorporaram-se à região os seguintes municípios: Araricá, Arroio dos Ratos, Capela de Santana, Charqueadas, Dois Irmãos, Eldorado do Sul, Glorinha, Ivoti, Montenegro, Nova Hartz, Nova Santa Rita, Parobé, Portão, Santo Antônio da Patrulha, São Jerônimo Taquara e Triunfo.
O crescimento demográfico decorrente das migrações, a interligação das zonas urbanas, as emancipações e o desejo dos municípios de arrecadarem recursos para seu desenvolvimento são importantes aspectos que transformar esta região.
Outro aspecto bastante relevante é atração de indústrias para esses municípios, já que Porto Alegre apresentou saturação e defasagem de sua industrialização, além é claro da falta de espaços para a construção de novos estabelecimentos; daí o surgimento de cidades com grande quantidade de indústrias dos mais diversos setores, com alto Produto Interno Bruto e renda per capita elevada, como Canoas (material elétrico, alimentar, petroquímica [Refinaria Alberto Pasqualini]), Triunfo (petroquímica), Novo Hamburgo (coureiro-calçadista) e Gravataí (automotivas, alimentares, tintas).
Possui uma rede de transportes importante, mas já defasada. Destacam-se o Trensurb, que liga Porto Alegre a São Leopoldo, e as rodovias BR-116 e BR-290, que ligam a região ao resto do Estado e do País.
Na área educacional, destacam-se importantes universidades, como a Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas, e a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, que atraem estudantes de todo o Estado e até de fora deste.
Por ser a região mais desenvolvida do Rio Grande do Sul, muitos municípios apresentam ótimos indicadores sociais. A região engloba dez dos dezessete maiores municípios gaúchos.
Canoas é uma cidade altamente industrializada e conta também com um ótimo comércio, além da Ulbra, importante universidade, e uma base área de relevância estratégica para as Forças Armadas.
Gravataí é outra importante cidade industrializada. Ganhou destaque nacional com a implantação de um fábrica de automóveis multinacional (General Motors, em 1999), a primeira do Estado.
Esteio é conhecida nacionalmente pela realização anual da Expointer, feira agropecuária que ocorre entre agosto e setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, às margens da rodovia federal BR-116.
São Leopoldo, Sapiranga, Parobé e Novo Hamburgo são importantes cidades no que diz respeito à produção de calçados, além de possuírem um forte comércio.
Triunfo é sede de um dos principais pólos petroquímicos do país.
Sapucaia do Sul e Viamão destacam-se através de locais de lazer (Zoológico e Autódromo de Tarumã, respectivamente).
Outras cidades da região possuem também a sua importância econômica, além de abrigarem uma grande população, como Alvorada, Charqueadas, Santo Antônio da Patrulha, Taquara, Montenegro, Cachoeirinha e Guaíba.
Problemas e Futuro da Região
A industrialização do século XX atraiu pessoas das mais diversas regiões para Porto Alegre e cidades vizinhas. A boa infra-estrutura da cidade (comércio, serviços) também foram outros aspectos de aumento da população.
Com a crescente vinda de pessoas de outras regiões, sobretudo do interior do Estado, que almejam por melhores condições de vida, fato este que muitas vezes não acontece, ocorre um aumento cada vez mais constante do desemprego, da violência urbana, na falta de condições de moradia, saúde, educação e saneamento básico. Com isso, surgem vilas e favelas em várias cidades da região, piorando assim as condições de vida de determinados indivíduos.
A poluição, tanto de ordem ambiental (atmosférica e das águas), como sonora e visual, é outro problema alarmante, sobretudo em Porto Alegre. A capital sofre uma intensa degradação ambiental, principalmente no Lago Guaíba, na área junto ao Centro, e no Arroio Dilúvio, localizado nas zonas Leste e Sul da cidade. Nessas áreas, a água é totalmente poluída, reflexo do descontrole da urbanização.
O trânsito também sofre com problemas de infra-estrutura. As rodovias da região não comportam mais o trânsito atual e estudam-se alternativas para resolver os constantes congestionamentos na BR-116 e a ampliação do Trensurb para outras áreas de Porto Alegre.
Estes são alguns dos principais problemas da região, que podem ser solucionados a médio prazo, se tiverem maior atenção por parte do Poder Executivo (prefeitos, Governador e até mesmo o Governo Federal), para, assim, melhorar a vida da população da região.
Existe, por parte do Poder Executivo Municipal, tentativas de melhorar a cidade de Porto Alegre, pensando-se já nos próximos anos.
Para o ano de 2006, está prevista a conclusão da Terceira Perimetral, uma avenida contínua e duplicada que tem por objetivo desafogar o trânsito na Capital gaúcha. Há projetos que ainda “não saíram do papel”, como a revitalização do Cais do Porto, que poderia transformar-se em um grande centro turístico e de eventos. Em breve, obras como o Parque Alemanha, na Zona Norte, a ampliação da pista do Aeroporto Salgado Filho (ampliado em meados de 2000) e a Pista de Eventos (também na Zona Norte), além de projetos de revitalização do Centro e de outras áreas da cidade, poderão proporcionar um melhor qualidade de vida aos porto-alegrenses.
O Futuro da Região
As alternativas para desafogar o trânsito na principal estrada da região, a BR-116 (como o Polão e o Anel Rodoviário Metropolitano), seriam fundamentais para o bem-estar da população que vive nas cidades vizinhas a Porto Alegre.
A atração de novas indústrias, gerando assim novos empregos, e a melhoria de vários aspectos sociais da população também serão fatores importantes para a Região Metropolitana de Porto Alegre continuar sendo uma das mais importantes do nosso país.
Conclusão
Descobri, através desta pesquisa, como podemos fazer de Porto Alegre uma cidade ainda mais desenvolvida e agradável para seu povo. Através de seu desenvolvimento, de sua história, percebi que Porto Alegre foi, é e sempre será uma cidade próspera, que procura oferecer uma qualidade de vida invejável à maioria das grandes regiões brasileiras e, até mesmo, mundiais.
Isso aconteceu graças à determinação e a garra de seu povo, que construiu uma grande metrópole e uma grande região, assim como um grande Estado, como o Rio Grande do Sul. E hoje, no cenário nacional e mundial, Porto Alegre é conhecida como a “Capital da Qualidade de Vida”.
E, pelo orgulho de seus habitantes, Porto Alegre, a “Cidade-Sorriso”, sempre será uma cidade cosmopolita e ao mesmo tempo gaúcha por natureza, pela integração com todas as etnias e pela hospitalidade e garra do povo do Rio Grande do Sul.
Referências
ATLAS Sócio-econômico do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Coordenação e Planejamento do Rio Grande do Sul, 2005. Disponível em www.portoalegre.rs.gov.br
INFORMAÇÕES da Cidade: Origens. Porto Alegre: Prefeitura de Porto Alegre. 2005. Disponível em www.portoalegre.rs.gov.br, acessado em 13/11/2005.
MAGNOLI, Demétrio; OLIVEIRA, Giovana; MENEGOTTO, Ricardo. Cenário Gaúcho: Representações Históricas e Geográficas. 1.ed. São Paulo: Moderna, 2001
MENEGAT, Rualdo. (org). Atlas Ambiental de Porto Alegre. 1.ed. Porto Alegre, Editora da UFRGS, 1998.
SOUZA, Célia Ferraz de. Evolução urbana: dos arraiais a metrópole. In: Atlas Ambiental de Porto Alegre. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1998, p. 99-101.

ESPORTES: Clássico Gre-Nal


Clássico Gre-Nal. Final da Taça Farroupilha. 29 de abril, domingo, 16h, Estádio Beira-Rio. Torça pelo seu time com muita paz e alegria!!

Retomamos o blog!!

Depois de exatos quatro meses sem atualizações, este blog, outrora Blog Panorama Lavrense e Blog do Murilo Góes, passa a se chamar Enciclopédia Gaúcha. Nele, vocês terão informações sobre o nosso Estado, gerais, geográficas e de atualidades, fotos, vídeos, mapas, textos e muito mais sobre o nosso querido Rio Grande do Sul.

Sejam bem-vindos ao Blog Enciclopédia Gaúcha, tchê!!!

AddToAny

Conheça Lavras do Sul!

O município gaúcho de Lavras do Sul está localizado a 324 km a sudoeste de Porto Alegre, entre Caçapava do Sul e Bagé, através de acessos pelas rodovias BR-290, BR-392 e ERS-357. Possui 7 679 habitantes, distribuídos em uma área de 2 600 km² (IBGE, 2010). Emancipado de Caçapava em 9 de maio de 1882, foi o único município gaúcho com origem na mineração do ouro. Possui as denominações carinhosas de "Pepita do Rio Grande" e "Terra do Ouro". Na atualidade, a economia se baseia na pecuária (principalmente bovinos e ovinos), comércio, fruticultura, lãs, indústrias artesanais e turismo. Tem como atrações turísticas principais a Igreja Matriz de Santo Antônio, a Praça Licinio Cardoso e o Camping Municipal (ou Praia do Paredão). O Carnaval lavrense é um dos maiores do Rio Grande do Sul e do Interior Brasileiro. Além do Carnaval, são realizadas as mais diversas festas e eventos ao longo do ano. Tudo consequência da alegria, da tranquilidade, da hospitalidade e da receptividade do povo lavrense.
A Sede está situada na latitude de 30°48’41”S e longitude 53°54’02” O. São dois os Distritos: o primeiro, Sede, com 1.240 km² aproximadamente; e o segundo, o Ibaré, com 1.360 km² aproximadamente.
A altitude média é de 300 metros acima do nível do mar (oficialmente ela está em 277 metros), mas em vários pontos, chega a 400, 450 metros. Nas regiões do extremo oeste do município, alcança apenas 98 m nas curvas do Rio Santa Maria.
Faz divisa com sete municípios: Vila Nova do Sul e Santa Margarida do Sul (norte), São Gabriel (norte e noroeste), Dom Pedrito (oeste, sul e sudoeste), Bagé (sudeste), Caçapava do Sul (leste e nordeste) e São Sepé (nordeste e norte). Até os anos 1980, havia uma pequena divisa com Rosário do Sul, que foi extinta devido a anexações aos municípios de Dom Pedrito e São Gabriel. O perímetro aproximado de divisas de Lavras do Sul é de 380 km. A distância entre os extremos leste-oeste é de cerca de 120 km.
Lavras do Sul está situada a 2.431 km de Brasília, Capital do Brasil, e a 641 km de Montevidéu, Capital do Uruguai. Localiza-se na faixa de fronteira.

SEJAM BEM-VINDOS(AS) AO BLOG INDEPENDENTE DE LAVRAS DO SUL/RS E REGIÃO. VISITEM NOSSA CIDADE E O PAMPA GAÚCHO EM QUALQUER ÉPOCA DO ANO. TRABALHAMOS DESDE 2007 E LEVAMOS QUALIDADE E CARINHO A ESTA TERRA PELAS ONDAS DA INTERNET. FIQUEM À VONTADE E SIGAM CONOSCO!

No Facebook

Postagens mais visitadas