Pular para o conteúdo

Os principais rios do Município são o arroio Camaquã das Lavras (que banha a sede municipal, e que juntamente com os arroios do Jaques e do Hilário, forma o rio Camaquã), arroio Ivaró, arroio Taquarembó e arroio Santo Antônio, que desembocam no Rio Santa Maria, que banha uma pequena porção no extremo oeste do município, na divisa com Dom Pedrito. Podemos classificar o município em duas regiões hidrográficas distintas:
Divisa Caçapava / Lavras

* Bacia Oriental: formada pelo rio Camaquã Grande e os arroios Camaquã das Lavras, Nazária, Imbicuí, do Tigre, Natálio, da Mantiqueira, Camaquã dos Macedos, Divisa, do Meio, do Jacques, do Hilário e Maricá, entre outros;
* Bacia Ocidental: formada pelo rio Santa Maria e pelos arroios Taquarembó, Jaguari, do Salso, Ivaró e Santo Antônio, entre outros.
O Rio Camaquã possui suas nascentes em Lavras do Sul e municípios vizinhos, fazendo com que a porção oriental do município pertença à bacia hidrográfica do mesmo. Possui cerca de 430 km de extensão, passando por municípios como Santana da Boa Vista, Encruzilhada do Sul e Amaral Ferrador, e desembocando na Laguna dos Patos, na divisa de Camaquã com São Lourenço do Sul.
A Bacia do Rio Camaquã possui uma superfície de 21.517,58 km², correspondendo a 7,6% do Estado, abrangendo 26 municípios e cerca de 255 mil habitantes.
A qualidade da água é satisfatória em quase todos os cursos d'água. No entanto, há uma grande quantidade de lodo em boa parte dos mesmos. Apenas há pequenos focos de poluição no trecho em que o Camaquã das Lavras cruza a zona urbana. O transporte de sedimentos forma diversos bancos de areia e praias fluviais. No Balneário do Paredão, por exemplo, há uma concentração de areia e plantas, já considerada como ilha. A Praia do Salsinho, propriedade particular localizada próxima ao Paredão, apresenta uma grande concentração de minerais (quartzitos e granitos), além de uma extensa e espessa faixa de areia.
Tanto a Sede como o Ibaré são banhados por arroios de características idênticas. A mata ciliar cobre as margens dos principais arroios, estando ao lado de grandes depósitos de sedimentos.
Os arroios Camaquã Chico (montantes dos afluentes formadores entre Dom Pedrito e Bagé), do Jaques, do Hilário e Camaquã das Lavras juntam-se para dar origem ao rio, na divisa de Lavras com Caçapava e Bagé.

Marco Gaúcho das Águas
As três principais regiões de bacias hidrográficas do Estado do Rio Grande do Sul possuem apenas um ponto em que algumas de suas nascentes estão próximas. Este ponto se localiza na região de divisa entre Lavras do Sul e São Gabriel e é o chamado "Marco Gaúcho das Águas", ponto pouco conhecido dos gaúchos e situado na localidade da Meia Lua, em direção ao Ibaré. Neste ponto, há as nascentes dos Rio Santa Maria (que corre para a Região Hidrográfica da Bacia do rio Uruguai), Vacacaí (rio integrante da Bacia Hidrográfica do Guaíba) e Camaquã (que corre em direção à Laguna dos Patos, e é integrante da Região Hidrográfica das Bacias Litorâneas). Esta região forma um tríplice divisor natural de águas, portanto o marco serve para simbolizar a união das três principais bacias hidrográficas gaúchas. 
No Marco Gaúcho das Águas, as águas gaúchas nascem praticamente juntas e seguem caminhos diferentes, mas unificando a natureza do nosso Estado. O local é aberto à visitação, na saída para o Ibaré e São Gabriel, a cerca de 30 minutos do centro de Lavras do Sul. Na tarde do dia 02 de junho de 2012, foi realizada uma saída de campo ao local, com dezenas de pessoas. O evento fez parte da programação da Semana Municipal do Meio Ambiente, que foi realizada entre maio e junho daquele ano.

FOTO: Antonio Eduardo Lanna / Agapan