sábado, 5 de maio de 2018

PERSONALIDADES: Conheça a biografia de alguns lavrenses expoentes no Brasil e no Mundo



Pouquíssimas pessoas sabem, mas em 1827, Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias esteve no território de Lavras do Sul para reforçar o exército que comandava, contra o exército argentino, com elementos enviados por D. Pedro I, durante a Guerra da Cisplatina: foi em terras lavrenses que o exército se reforçou para a Batalha de Passo do Rosário; por quase cinco dias, o exército argentino ficou retido em Bagé, em razão de um forte temporal.Osvaldo Aranha era de Alegrete. Foi um dos grandes nomes da política mundial, sendo responsável por um dos primeiros discursos após a fundação das Nações Unidas, em 1949. Era defensor do governo no RS e líder militar, sobrevivendo a um atentado à sua pessoa no combate de Seivalzinho, nos campos de Caçapava do Sul. Os primeiros socorros do atentado a ele foram realizados em Lavras do Sul, e depois, foi atendido em Bagé. Liderou no Rio Grande do Sul a Revolução de 30. A rua que fica nos altos da cidade, junto à Vila da Olaria, leva o seu nome.

Licínio Atanásio Cardoso nasceu em Lavras do Sul, no dia 2 de maio de 1852 e faleceu em Lisboa, no dia 1º de junho de 1926. Foi militar, engenheiro, professor, médico e matemático. Era filho de Vicente Xavier Cardoso e de Felisbina Barcelos do Santo; concluiu a Escola Militar em 1874 e, em 1879, concluiu o curso de engenharia militar. Promovido a capitão, em 1885, no ano seguinte foi nomeado professor de matemática da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, segundo informações do escritor Walter Spalding. Em 1900 formou-se em medicina, dedicando-se a homeopatia, introduzindo esta ciência no Brasil. Nos anos 1910, fundou faculdades e hospitais, e em 1923, publicou a obra Dinioterapia Autonósica, que fala sobre transformações do sangue. Uma das principais escolas de Lavras do Sul recebe seu nome e está localizada na esquina das Ruas Dr. Pires Porto e Barão do Rio Branco.

Glênio Peres nasceu em 1933, em Lavras do Sul. Foi jornalista, ator e político, e fez carreira nos já extintos jornais Diário de Notícias e O Estado do Rio Grande, além de colaborar com O Pasquim e a revista Cadernos do Terceiro Mundo. Eleito vereador em Porto Alegre em três legislaturas (MDB), foi cassado e voltou à política na Reabertura Política nos primeiros anos da década de 1980, sendo um dos fundadores do PDT , conquistando seu quarto mandato de vereador e, em 1985, eleito vice-prefeito de Porto Alegre na chapa de Alceu Collares. Faleceu vítima de câncer na capital gaúcha em 27 de fevereiro de 1988, onde, em sua homenagem, foi erguido o Largo Glênio Peres, no ponto mais central da cidade.

Paulo José Gómez de Sousa nasceu em 20 de março de 1937, em Lavras do Sul, é ator e diretor. Foi casado com Dina Sfat, com quem teve três filhas, as atrizes Bel Kutner, Ana Kutner e Clara; com a atriz Beth Caruso, com quem teve um filho, Paulo Caruso; e com Zezé Polessa. Começou a fazer teatro em 1955, em Porto Alegre, onde ajudou a criar o Teatro de Equipe. Além de ser um dos mais ativos e talentosos atores brasileiros dos últimos 50 anos, com presença destacada no cinema, teatro e televisão, e de ter dirigido vários espetáculos de teatro, Paulo José é também diretor de televisão, com trabalhos marcantes como as minisséries: O Tempo e o Vento, de 1985; Agosto, de 1993; Incidente em Antares, de 1994; e a novela Por Amor, de 1997. Um de seus mais recentes trabalhos foi no filme “O Palhaço”, de 2011.

Gujo Teixeira: Paulo Henrique Teixeira de Sousa é porto-alegrense de nascimento, nascido em 1972, mas se considera lavrense, sendo um cidadão do Município; é conhecido pelo nome artístico de Gujo Teixeira, e é músico, compositor, poeta e pecuarista. Gujo estudou na UFSM, onde se formou técnico agrícola e, mais tarde, em medicina veterinária. Reside em Lavras do Sul, onde escreve seus poemas, músicas e livros, e trabalha na produção pecuária, exercendo a profissão em sua propriedade rural. Mesmo jovem Gujo Teixeira já é reconhecido no meio tradicionalista gaúcho, tendo recebido dezenas prêmios em festivais e tendo gravado com grandes nomes da música nativista.

Edilberto Teixeira nasceu na estância de seu avô em Pontas do Salso, município de São Gabriel, em 1934, filho de Valério Teixeira Neto e Maria Julia Teixeira. Faleceu em 1998. Foi casado com Elba La-Rocca Teixeira e teve cinco filhos: Mariano, Ana Julia, Ana Suely, Rodrigo e Ana Rita. Advogado e agropecuarista, era proprietário da Estância do Capão, em Santa Margarida do Sul. Letrista colaborador de vários Festivais de Música do RS, autor de diversos livros tradicionalistas e do clássico lavrense, de 1992, Lavras do Sul – na Bateia do Tempo.

Carlos Moraes nasceu em Lavras do Sul, em 1941; foi ordenado sacerdote em 1966. Em 1973, com base na Lei de Segurança Nacional, foi julgado e preso em Bagé, onde atuava. Dedicou-se, depois, definitivamente, ao jornalismo em São Paulo, onde foi repórter da revista Realidade e editor das revistas Psicologia Atual e Ícaro Brasil. Além de um livro de crônicas, O lobisanjo (Vozes, 1970), publicou algumas obras infanto-juvenis. Com A vingança do timão ganhou o Prêmio Jabuti desta categoria em 1981.

José Néri da Silveira, nascido em 1932, é um magistrado brasileiro, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal. Como ministro do Supremo Tribunal Federal desde 1981, foi nomeado presidente desta Suprema Corte em 1988. Exerceu o Magistério na PUCRS e UFRGS por dezesseis anos, e também na UDF de Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny

Mapa (Google Maps)

FONTE: Google Maps.

Conheça Lavras do Sul!

O município gaúcho de Lavras do Sul está localizado a 324 km a sudoeste de Porto Alegre, entre Caçapava do Sul e Bagé, através de acessos pelas rodovias BR-290, BR-392 e ERS-357. Possui 7 679 habitantes, distribuídos em uma área de 2 600 km² (IBGE, 2010). Emancipado de Caçapava em 9 de maio de 1882, foi o único município gaúcho com origem na mineração do ouro. Possui as denominações carinhosas de "Pepita do Rio Grande" e "Terra do Ouro". Na atualidade, a economia se baseia na pecuária (principalmente bovinos e ovinos), comércio, fruticultura, lãs, indústrias artesanais e turismo. Tem como atrações turísticas principais a Igreja Matriz de Santo Antônio, a Praça Licinio Cardoso e o Camping Municipal (ou Praia do Paredão). O Carnaval lavrense é um dos maiores do Rio Grande do Sul e do Interior Brasileiro. Além do Carnaval, são realizadas as mais diversas festas e eventos ao longo do ano. Tudo consequência da alegria, da tranquilidade, da hospitalidade e da receptividade do povo lavrense.
A Sede está situada na latitude de 30°48’41”S e longitude 53°54’02” O. São dois os Distritos: o primeiro, Sede, com 1.240 km² aproximadamente; e o segundo, o Ibaré, com 1.360 km² aproximadamente.
A altitude média é de 300 metros acima do nível do mar (oficialmente ela está em 277 metros), mas em vários pontos, chega a 400, 450 metros. Nas regiões do extremo oeste do município, alcança apenas 98 m nas curvas do Rio Santa Maria.
Faz divisa com sete municípios: Vila Nova do Sul e Santa Margarida do Sul (norte), São Gabriel (norte e noroeste), Dom Pedrito (oeste, sul e sudoeste), Bagé (sudeste), Caçapava do Sul (leste e nordeste) e São Sepé (nordeste e norte). Até os anos 1980, havia uma pequena divisa com Rosário do Sul, que foi extinta devido a anexações aos municípios de Dom Pedrito e São Gabriel. O perímetro aproximado de divisas de Lavras do Sul é de 380 km. A distância entre os extremos leste-oeste é de cerca de 120 km.
Lavras do Sul está situada a 2.431 km de Brasília, Capital do Brasil, e a 641 km de Montevidéu, Capital do Uruguai. Localiza-se na faixa de fronteira.

SEJAM BEM-VINDOS(AS) AO BLOG INDEPENDENTE DE LAVRAS DO SUL/RS E REGIÃO. VISITEM NOSSA CIDADE E O PAMPA GAÚCHO EM QUALQUER ÉPOCA DO ANO. TRABALHAMOS DESDE 2007 E LEVAMOS QUALIDADE E CARINHO A ESTA TERRA PELAS ONDAS DA INTERNET. FIQUEM À VONTADE E SIGAM CONOSCO!