Sejam bem-vindos ao site independente em homenagem a Lavras do Sul, a eterna "Terra do Ouro"! Visite nosso Município em qualquer época do ano. ///// Lavras do Sul é um município brasileiro localizado no Rio Grande do Sul e pertencente à mesorregião do Sudoeste Rio-grandense e à microrregião da Campanha Meridional. Conta com as águas da Bacia do Rio Camaquã e do Rio Santa Maria. Faz divisa territorial com os municípios de Caçapava do Sul (L, NE), Bagé (SE), Dom Pedrito (O, S, SO), São Gabriel (N, NO) e Vila Nova do Sul, Santa Margarida do Sul e São Sepé (N). Localiza-se no Escudo Sul-Rio-grandense, apresentando um solo rochoso, de origem pré-cambriana, e rochas sedimentares. Apresenta terras que alcançam os 450 metros acima do nível do oceano. Apresenta vegetação variada ao longo de seu território, desde campos mistos com arbustos, até campos limpos e planícies onde se praticam a cultura do arroz, já na porção oeste do município, na divisa com Dom Pedrito. Lavras do Sul possui 7.679 habitantes, segundo estimativas do IBGE, em 2010 e está distante 320 km da Capital gaúcha, Porto Alegre. As principais atividades econômicas do município são a mineração (que está praticamente desativada, embora hajam jazidas de calcário e fosfato em pesquisa), a agropecuárjavascript:void(0)ia, a agroindústria, o artesanato, o comércio e o turismo. Possui um dos mais tradicionais carnavais do interior gaúcho, além de realizar diversos eventos o ano todo.

Apoiador

Lavras do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil
   00:00:00 blogpanoramalavrense@gmail.com
Perfil no Facebook

sábado, 15 de outubro de 2016

O MUNICÍPIO: História de Lavras do Sul



Lavras do Sul na década de 1940 - Fonte: Casa de Cultura José Néri da Silveira
No fim do século XVIII já havia garimpagem na região. A tradição oral conta que nos primórdios da mineração foi descoberta uma grande pepita de ouro com o formato da imagem de Santo Antônio, num remanso do arroio Camaquã, que hoje banha a cidade. Por essa razão aquela garimpagem recebeu o nome de Santo Antônio das Lavras ficando como padroeiro da localidade o milagroso santo.

Segundo a lenda, um garimpeiro teria achado uma pepita grande de ouro com o formato da imagem de Santo Antônio, as margens do arroio Camaquã das Lavras. Espalhada a notícia, muitos aventureiros perceberam a semelhança do solo local com as terras de Mato Grosso e Minas Gerais. Em 1796, a primeira descoberta de ouro em Lavras aconteceu, dando origem ao início da colonização do município e a exploração da mineração aurífera. Há registros de que o ouro do território onde hoje localiza-se o município foi explorado por europeus e canadenses. Embora o povoamento tenha se estabelecido em 1825, além dos ingleses e canadenses, belgas, espanhóis, portugueses, índios negros e bandeirantes paulistas já estavam na região, atraídos pela quantidade de ouro existente, sendo estes os principais colonizadores da cidade.

As disputas pelas terras conquistadas por Portugal e Espanha originaram tratados de limites como os de Madrid e de Santo Ildefonso que tiveram suas linhas determinadas em documentos e posteriormente demarcadas, pois a linha do Tratado de Santo Ildefonso curiosamente faz uma curva sobre o território do município e as linhas dos dois tratados unem-se justamente sobre o território de Lavras, formando assim um vértice histórico.

Com a exploração do mineral, formou-se um núcleo populacional, que deu origem a cidade, desmembrada originalmente das terras de Rio Grande e Rio Pardo. Emancipou-se de Caçapava do Sul e Bagé em 9 de maio de 1882.

O nome do município deriva da divisão de glebas (lotes, terrenos) destinadas à mineração (lavra) do ouro. Ao nome "lavras" adicionou-se a expressão "do Sul", por já existir um município denominado Lavras, em Minas Gerais.

Outra lenda que se propagou com relação a exploração aurífera em Lavras é a de que a Igreja Matriz de Santo Antônio, no centro, foi construída em cima de uma mina de ouro.

O ouro de Lavras do Sul pode ser associado ao granito rapakiwi, tipo de rocha, de origem vulcânica do pré-Cambriano ( início formação da Terra)

A área de mineração de Lavras do Sul é de aproximadamente 60 km², tendo como locais mais importantes do desenvolvimento dessa atividade o Arroio do Jaques, São José da Itaoca, Vista Alegre, Cerrito e Volta Grande. Estes locais fazem parte da história da mineração no município.

Além disso, podemos citar diversas minas ao longo dessa área de mineração, a maioria desativadas ou com suas reservas auríferas esgotadas, tais como: Boa Vista, Bloco do Butiá, Umbu, Capororoca, do Castelhano, Guampa de Ferro, Lagoa Negra, Cerro do Tigre, Saraiva, Giloca, São José, Invernada da Cachoeira, Aurora, Dourada, Goiabeira, Saint Clément, Mato Feio, Lavadeiro, Chapéu de Ferro, Toca do Euzébio, do Rodeio, Cerro Rico, Merita, Sanga do Mata-Fome, Galeria do Monstro.

Formação Administrativa

A seguir, seguem informações retiradas da Biblioteca do IBGE, sobre a formação administrativa e política de Lavras do Sul:
* Distrito criado com a denominação de Lavras, por lei provincial nº 82, de 13-11-1847, criado também por ato municipal nº 16, de 12-10-1896, no município de Caçapava.
* Elevado à categoria de vila com a denominação de Lavras, por lei provincial nº 364, de 09-05-1882, desmembrado de Caçapava. Constituído do distrito sede. Instalado em 28-01-1893.
* Por ato municipal nº 16, de 12-10-1896, é criado o distrito de Jaguari e anexado ao município de Lavras.
* Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Lavras e Jaguari. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-XII-1936.
* Em divisão territorial datada de 31-XII-1937, o município aparece constituído de 2 distritos: Lavras e Ibaré. Não aparecendo o distrito de Jaguari.
* No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Lavras e Ibaré.
* Pelo decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944, o município de lavras passou a denominar-se Lavras do Sul.
* Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Lavras do Sul e Ibaré. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.
* A alteração toponímica (nome) de Lavras para Lavras do Sul foi promulgada através do decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944.

Fatos históricos

Apresentamos agora a cronologia dos principais fatos históricos do Município. A fonte utilizada é o livro Lavras do Sul - o relevo de tua história, de João Francisco Trein Leite.
* 1825: início da colonização;
* 20 de março de 1829: denominação oficial do padroeiro da cidade de Santo Antônio das Lavras 
* 25 de outubro de 1831: território de Lavras do Sul, antes pertencente a Rio Pardo, integra-se ao de Caçapava do Sul
* 22 de março de 1834: Luís Vicente Machado assume como o 1º Juiz de Paz e um dos primeiros povoadores da Sede. 
* 07 de novembro de 1835: surgimento do Ensino Primário de Lavras do Sul.
* 13 de novembro de 1847: Francisco Pereira de Macedo (o Visconde do Serro Formoso) é o responsável, desde os anos 1830, por elevar a Freguesia de Lavras à categoria de Vila, fato que ocorreu através da Lei Provincial n° 82.
* 09 de maio de 1882: EMANCIPAÇÃO (vila autônoma de Caçapava, através da Lei Provincial nº 1.364)
* 1883: início do comércio; primeira Câmara Municipal, com os seguintes vereadores eleitos: Manuel Pedro Gomes Jardim; Vasco José de Souza Freitas; Manuel de Macedo Neto; Manuel Redozino Meza; Fernando Jacobsen; Galvão José de Souza; e Ulíbio José Teixeira.
* 02 de dezembro de 1884: o Visconde de Serro Formoso, um dos líderes abolicionistas, libertou os escravos nesta data, cerca de três anos e meio antes da Lei Áurea, em 13/05/1888. 
* 23 de julho de 1913: o Intendente Municipal (uma espécie de Prefeito) Dr. Pires Porto introduz, na rua que hoje leva seu nome, o primeiro sistema de iluminação pública, através de dez lampiões; Inácio Neves Matos é designado para a instalação. 
* 1913: a Zona Rural passa a contar com escolas públicas; Henriqueta Tellier Albernaz é a professora nomeada para a localidade de Três Estradas, no Segundo Distrito. 
* 1915: surgimento dos primeiros médicos, os Doutores: Leopoldo Pires Porto, Crispim Raimundo de Souza, João de Araújo Aragão Bulcão, João Luchsinger Bulcão, Pery Souza e Honor Teixeira da Costa 
* 11 de novembro de 1930: o Dr. Gil Samuel de Souza é o primeiro Prefeito eleito de Lavras do Sul. 
* Década de 1930: Olavo de Almeida Macedo se consagrou como um dos primeiros grandes líderes rurais do Município; residente do 2º Distrito, em novembro de 1936 tornara-se vereador. 
* 31 de março de 1939: a sede municipal foi elevada à categoria de cidade, através do Decreto nº 7.199, denominando-se, assim, Lavras do Sul e adquirindo os apelidos de “Terra do Ouro” e “Pepita do Rio Grande”. No mesmo dia, o mesmo decreto deu a Ibaré o status de povoado; o nome é de origem indígena e sua denominação está está relacionada a serra adjacente (próxima).
* 29 de dezembro de 1944: alteração da denominação oficial “Lavras” para Município de Lavras do Sul (Decreto Lei nº 720). 
* Décadas de 1940, 1950 e 1960: importantes e notáveis figuras públicas da época: Zeca Bueno, Raul Severo Leal (respeitáveis vereadores); Dilma Maria Munhós Sapper (professora); Geraldo Budó (criou a Fazenda Gerzil, importante para o setor agropecuário do Município); sacerdotes, como o Pe. Bruno Conrado List, Pe. André Gomes Munhós, Pe. Hilário de Mello Munhós; Dr. Osvaldo Freitas Rodrigues (consagrado pela Cabanha Casuarinas, bacharel em Direito e presidente da Sociedade Educacional Lavrense).
* 1965: João Francisco Trein Leite introduz o primeiro televisor no Município, na sua residência localizada no Segundo Distrito; o modelo foi adquirido na Casa Radar, em Bagé, e funcionava a bateria 12 volts.
* 5 de fevereiro de 1980: consolidação da ligação de Lavras a CEEE e ao sistema elétrico da Usina de Candiota. 
* Década de 1980: implantação do Camping Municipal (Praia do Paredão). 
* 1988: implantação da Pepita FM (Nova 89), a primeira rádio do Município, e recepção via satélite de sinais de TV (do SBT e da extinta TV Manchete).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mapa (Google Maps)